“Confio muito no governo que vem aí, alicerçado, amparado, ancorado pela vontade popular”,

de Michel Temer sobre o futuro
governo de Bolsonaro.

Ano XVI - 15 a 17 de dezembro de 2018

 

 

Outra data
O presidente eleito Jair Bolsonaro não gostou muito quando o médico Antonio Luiz Macedo, do Hospital Albert Einstein, mudou (mais uma vez) a data da cirurgia de retirada da bolsa de colostomia para o dia 28 de janeiro. O futuro Chefe do Governo terá de ficar de repouso vários dias, licenciar-se da Presidência e acha que esses fatos poderão conturbar a largada do governo. Mais: Bolsonaro sabe que até a data de 28 de janeiro poderá ser mudada: é apenas uma projeção. Também está ciente de que a reconstituição do trânsito poderá provocar sequelas: além de vomito, diarreia, infecção urinária e arritmia.

De novo
O senador eleito Major Olímpio (PSL) é o maior entusiasta da ideia: está tentando convencer o animador José Luis Datena a filiar-se no seu partido e se candidatar em 2020 a prefeito da cidade de São Paulo. O Major Olímpio acha que Datena se elege “com a maior tranquilidade”.

Intervenção
Devido à baixa audiência (outros programas e novelas da Globo também estão sendo afetados), Silvio de Abreu, por ordem superior, está intervindo no texto e no destino dos personagens da novela de Aguinaldo Silva (está furioso), O Sétimo Guardião. Silvio é diretor de Dramaturgia e está mandando regravar cenas, enquanto o diretor Rogério Gomes (Papinha) ameaça deixar a novela. Uma das novas decisões: Leticia Spiller aparecerá em novas cenas quentes.

Linha direta
Só os mais chegados sabiam que, na semana passada, depois de passar pelo Hospital Albert Einstein, o presidente eleito Jair Bolsonaro iria se encontrar com Silvio Santos (estava comemorando 88 anos) na casa do apresentador em São Paulo, onde almoçou – e permaneceu quase duas horas. Bolsonaro e Silvio têm uma linha direta de comunicação, que não passa por ninguém – e nem mesmo pelos filhos do Capitão. Silvio lhe disse que o SBT estará sempre a disposição e cobrirá todos os atos do governo.

Convites
Estão mais do que atrasados os convites a serem distribuídos para a posse do presidente eleito Jair Bolsonaro: começaram a ser enviados apenas na sexta-feira (14). Governadores eleitos e simpatizantes do Capitão tratarão de tomar posse em seus Estados nas primeiras horas de 1º de janeiro, viajando depois – provavelmente de jatinho – para a posse de Bolsonaro.

Almanaque
Enquanto o país assiste a uma operação de captura de diversas figuras supostamente ligadas ao assassinato de Marielle Franco e Anderson Gomes, balanço feito pela Câmara Municipal do Rio revela que Carlos Bolsonaro foi o único integrante da Casa a não emitir pêsames pela morte da vereadora e de seu motorista.

Ciúmes
Daniela Albuquerque e Amilcare Dallevo protagonizaram, nesses dias, episódio de grande estremecimento, com probabilidade de rompimento. Ele mandou tirar do ar o programa dela – por ciúmes do conteúdo. E ela fez ameaças de todos os tipos. Já fizeram as pazes e o programa não foi para o ar.

Tatuagem
Para quem não sabe: Carlos Bolsonaro é o único filho do presidente eleito a ostentar uma tatuagem com o rosto do pai num dos braços – e é quem mais o futuro Chefe do Governo ouve. Seu apelido nas rodas do núcleo principal do novo governo (ainda em transição) é “Rambo”. Ele é formado em ciências aeronáuticas e anda sempre com uma pistola na cintura.

Nova propaganda
O governo de Bolsonaro vai rever todos os contratos das agências de publicidade com o Planalto e com os ministérios: quer cancelar campanhas, mudar o enfoque e carregar mais nas mídias sociais. Será um trabalho do novo homem da Secom, Floriano Barbosa, que funcionará debaixo do general Santos Cruz, na Secretaria do Governo. Ele não é uma indicação de Carlos Bolsonaro, é de seu irmão Eduardo.

Único
Nas manifestações do Congresso em torno dos 50 anos do AI-5 (os corredores ficaram cheios de mini-cartazes com dizeres “AI-5 nunca mais”), parlamentares de todas as correntes lembravam que, durante esse período, apenas um único parlamentar havia defendido, publicamente, o ato mais duro da ditadura militar. Os congressistas referiam-se a Jair Bolsonaro, que toma posse na Presidência daqui a quinze dias.

Quase vitória
Na festa do DEM, na semana passada, em Brasília, quando os novos ministros do governo Bolsonaro dessa sigla não compareceram, o ainda presidente da Câmara e deputado reeleito Rodrigo Maia festejava a formação de uma aliança de bancadas de partidos médios e menores a favor de sua reeleição para a presidência da Casa.

Retiro
Uma icônica cantora brasileira, com prestígio nos Estados Unidos, onde sempre se apresentou, atravessa período de difícil situação financeira, sem família e está se transferindo para o Retiro dos Artistas, no Rio, sempre cuidado por Stepan Nercessian. É Leny Andrade, 75 anos de vida e 60 de carreira. Tem problemas de moradia, remédios – e até alimentação.

É o Brasil!
O prefeito de Mauá, cidade da Grande São Paulo, Atila Jacomussi (PSB) preso pela segunda vez por suposto envolvimento em irregularidades da merenda escolar, uniformes e material para os alunos. E foi filmado, acompanhado por policiais, levando roupas e objetos de uso pessoal dentro de uma grande maleta da grife Louis Vuittton.

Também frase
O personagem de Bruno Gagliasso na novela O Sétimo Guardião tem nas costas uma tatuagem que sinaliza histórias e profecia e que, na realidade, lembra muito o logo do fabricante de conexões hidráulicas Tigre. E, ao lado – quem diria – está escrito “No ducor, duco”, que é frase da bandeira de São Paulo.

Ética pública
Nesta terça (18), a comissão de Ética Pública da Presidência deverá se reunir pela última vez. Se sobreviver, será apenas simbolicamente. Suas funções vitais incorporadas pelo ministro Sérgio Moro. O ex-juiz já avisou que deverá atuar como um “conselheiro” de Bolsonaro em casos de denúncias contra ministros e demais servidores do primeiro escalão, arbitrando sobre a demissão de suspeitos.

Temporada de caça
Uma das primeiras medidas do governo Romeu Zema (Novo), em Minas Gerais será a implantação de um novo sistema de ponto eletrônico na administração pública. A equipe de transição já mapeou zonas cinzentas de controle de frequência do funcionalismo mineiro. Há secretarias e estatais sem registro eletrônico de presença para todos os servidores. Zema quer caçar especialmente ocupantes de mais de três mil cargos de chefia que não prestaram concurso público.

Nada de silêncio
Na semana passada, o general Mourão voltou à cena, reclamando que Jair Bolsonaro “demorou para falar” sobre o caso de Fabricio Queiróz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro. Cobrou explicações do ex-servidor que estava desaparecido e disse que “a eventual pratica de caixinha do gabinete de Flávio Bolsonaro seria burrice em cubo”.

Voto impresso
A bancada do PSL, notadamente o Major Olímpio, costura apoio de outras legendas para a aprovação do voto impresso obrigatório. Aliada do PSL, a deputada eleita Bia Kicis (PRP-DF) vai apresentar, logo no início do mandato, projeto de lei determinado a adaptação do atual sistema do TSE para a impressão dos comprovantes da votação em todas as urnas eletrônicas. Assessores de Bolsonaro na área de segurança são radicalmente contra.

Indignado
O próprio Jair Bolsonaro é que descobriu e está mais do que indignado com os gastos de R$ 2,5 bilhões da comunicação da Caixa Econômica Federal. Quer um levantamento completo de onde foi parar essa dinheirama e de todos que ganharam porcentagem (na publicidade, determinados serviços cobram até 15% do resultado final das agências – e essa é uma área considerada exposta).

Quanto custa
A diplomação do presidente eleito Jair Bolsonaro encerra praticamente o ciclo eleitoral de 2018 no Brasil, onde o órgão criado para organizar eleição ganhou caráter permanente: é a Justiça Eleitoral, que custa R$ 5,5 bilhões por ano, e sustenta 35.371 servidores até em ano sem eleição.  O caráter provisório do TSE para muitos fica claro: são 3 ministros do Supremo, 2 do STJ e 2 da advocacia. A sete do TSE custou quase meio bilhão de reais, onde ministros trabalham às terças e quintas – à noite. Em ano sem eleições, os salários da Justiça Eleitoral chegam a R$ 5 bilhões.

Nada de novo
Orientados por Valdemar Costa Neto, meio dono do partido, deputados do PR já resolveram cobrar a fatura do apoio declarado ao governo Jair Bolsonaro. Querem espaço: nas estatais e segundo escalão. Também o dono do PRTB, Levy Fidelix (o vice Mourão é filiado na sigla), tem procurado se infiltrar nas principais rodas da transição também em busca de postos na máquina federal. Há resistência e os militares não suportam Levy.

À distância
Jair Bolsonaro quer cumprir promessa de campanha: o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), alvo de críticas do presidente eleito, não ficará como está. A equipe de transição já tem recomendação de fazer mudanças no programa. De cara, haverá sua expansão para alunos do segmento à distância (EAD). Hoje, a concessão de crédito está restrita a estudantes de cursos presenciais. A propósito: hoje, 500 mil jovens estão em atraso no pagamento do financiamento.

É uma vergonha
Analistas políticos acreditam pelo andar da carruagem os três últimos presidentes brasileiros em breve estarão atrás das grades. Lula já está desde abril. Dilma Rousseff, ainda ré, deverá ser condenada junto com seus comparsas por organização criminosa e recebimento de R$ 1,5 bilhão em contratos do setor público. E Michel Temer não deverá escapar do processo dos portos e agora por suposto recebimento de R$ 20 milhões em troca da abertura do setor aéreo.

Combinado
Há quem garanta, que o ex-juiz Sérgio Moro anda um tanto desconfortável por causa de alguns colegas de ministérios estarem envolvidos em processos ou acusações. Por outro dizem que ele está tranquilo porque, no acordo que fez antes de aceitar o convite, teria ficado acertado entre ele o presidente eleito Jair Bolsonaro, de que ficaria na pasta da Justiça somente por um período e depois seria indicado ao Supremo Tribunal Federal. Provavelmente na vaga de Celso Mello, que se aposenta em 2020 ou de Marco Aurélio, em 2021.

Quer todos
O jornalista José Luiz Datena, entrevistou  na semana passada, o ex-juiz Sérgio Moro e gostou. Já mandou avisar a direção da Band que pretende entrevistar todos os ministros do futuro governo, em curto tempo. Há quem garanta que Onyx Lorenzoni já se ofereceu e que o vice Hamilton Mourão também quer ser entrevistado.

Visita
O presidente do PSL, Luciano Bivar se encontrou com o embaixador da China, Li Jinzhang, na semana passada, em Brasília. E mandou avisar que o presidente eleito Jair Bolsonaro pretende visitar o país asiático, só não será no primeiro trimestre por causa da nova cirurgia e da transição.

Coisas boas
Em entrevista ao jornalista José Luiz Datena, o ex-juiz Sérgio Moro falou sobre o que pretende fazer como ministro da Justiça e que, pelo menos, por enquanto, não irá concorrer a nenhum cargo eletivo.  Sobre o ex-presidente Lula lamentou ser o autor da condenação. “Da minha parte nada tenho contra o ex-presidente. Acho até lamentável que eu, infelizmente, tenha sido o autor da decisão que condenou uma figura pública que tem a sua popularidade e que fez até coisas boas durante sua gestão, mas também erradas”.

Olho no coração
A ex-presidente e candidata ao Senado derrotada Dilma Rousseff passou por um procedimento cirúrgico na semana passada. Ela fez uma angioplastia para desobstrução de artérias sem intercorrências, permanecendo por alguns dias para observação no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo.

Love in the air
O cantor Simoninha e a ex-apresentadora Sabrina Parlatore (agora também cantora) assumiram o romance durante um jantar de amigos, na semana passada. É algo recente, mas eles se conhecem desde que Sabrina trabalhava na MTV. Os dois até já pensam em uma parceria musical.

Cliques do marido
Talytha Pugliesi, 36 anos, modelo brasileira nascida em Valinhos, interior de São Paulo, é a musa inspiradora de seu marido, o fotógrafo e diretor cinematográfico Lucas Diego Lopez, que a vem clicando em momentos mais íntimos para um álbum de nudes. Talytha começou sua carreira aos 15 anos, descoberta pela Ford Models Brasil e já desfilou (e foi fotografada) para grandes grifes internacionais. Ente elas, Christian Dior, Celine, Chanel, L’Oreal e muitas mais. Ela morou um tempo em Paris e ganhou páginas nas mais importantes revistas de moda do mundo.

 


 © Copyrights: É proibida a reprodução, total ou parcial, do texto e de todo o conteúdo sem autorização
 do titular desta coluna eletrônica. Entre em contato com o autor pelo email gibaum@gibaum.com.br

OLHO MÁGICO


fotos: Brian Marcus, Uriel Santana, Uriel Sanches // Divulgação

Por trás das Marias
A cantora e atriz
Thalia, 47 anos ficou conhecida por interpretar várias Marias nas novelas mexicanas (Maria do Bairro, que já foi exibida 7 vezes, Marimar, exibida 5 vezes, e Maria Mercedes, três vezes, pelo SBT). O que pouco sabem que ela é também compositora, produtora musical, dançarina, apresentadora, radialista, filantropa, escritora, estilista, multi-instrumentista e empresária e fala cinco línguas: espanhol (sua língua natal), inglês, francês, português e tagalo (língua da Filipinas). Em entrevista a Quem digital, falou de como faz para manter o pique e corpo em forma: alimentação balanceada, muitos exercícios. “É um estilo de vida. Não bebo, não fumo, não uso drogas. Só como coisas saudáveis, muita proteína, salada, vegetais e frutas. E tomo galões de águas também”.

Projeto Down
Edições Anteriores:  
__________________________________________________________

 IN & OUT

  ;-) Pelos naturais no braço :-( Pelos descoloridos no braço.

ONE CARTOON


Os trabalhos dos mais criativos cartunistas selecionados na web.




 

Esta coluna é fechada de segunda a sexta às 16:00
(exceto feriados)

 


 

© Copyrights: É proibida a reprodução, total ou parcial, do texto e de todo o conteúdo sem autorização do titular desta coluna eletrônica. Entre em contato com o autor pelo email gibaum@gibaum.com.br


 © Copyrights: É proibida a reprodução, total ou parcial, do texto e de todo o conteúdo sem autorização
 do titular desta coluna eletrônica. Entre em contato com o autor pelo email gibaum@gibaum.com.br