“Não é questão de ser presidente. Quero ser presidente, um dia, pelo voto”,

de Rodrigo Maia, revelando seu desejo
no programa de Pedro Bial.


Ano XVII -
21 a 23 de setembro de 2019

 


 

“Velha política”
O senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), alvo da Polícia Federal (tem provas de que ele embolsou mesmo R$ 5,5 milhões das empreiteiras), é um legitimo representante da “velha política”, transformado em líder do governo pelo próprio Bolsonaro que sempre quis distância desses políticos. Descendente de uma família de “coronéis” de Pernambuco e vizinhança, foi ministro de Dilma e chegado de Temer. Tem três filho na política – um deputado federal, um deputado estadual e um prefeito. E, há algum tempo, disse que se Moro fosse afastado, “em 60 dias ninguém mais lembraria dele”.

Ao contrário
Analistas políticos mais lúcidos aproveitam a descontrolada frase de Fernando Bezerra para dizer exatamente ao contrário. Se Moro caísse agora, por conta de saber com antecedência o que o diretor-geral da PF, Mauricio Valeixo, aprontara para o senador, “não seria esquecido em 60 dias” e ganharia maior projeção nacional, que poderia mudar seu destino. Também Valeixo, se for afastado, ganhará louvores nacionais. E se Bezerra for afastado, “em muito menos de 60 dias ninguém lembrará dele”, exceção feita aos rincões nordestinos pilotados pela família.

Mais que saia justa
A situação de Bolsonaro é muito maior do que de saia justa. “Se correr, o bicho pega; se ficar o bicho come” – é o nome de uma peça de Oduvaldo Vianna Filho, o Vianninha, que bem se aplica a situação. Qualquer afastamento de responsáveis pela busca e apreensão em casas de Bezerra será escandaloso. Alguém sopra no ouvido de Bolsonaro que melhor é ele aceitar pedido de afastamento do senador, avisando que poderá voltar a qualquer momento, depois de provada sua inocência.

“Muito bom”
Nessas horas que envolveram a operação da PF de busca e apreensão em casa e até gabinete do senador Fernando Bezerra, a mais surpreendente reação foi de Davi Alcolumbre, presidente do Senado que, aliás, foi avisado com antecedência do trabalho dos federais dentro da Casa. Declarou-se “perplexo” e disse que “Fernando é muito bom”. Vai recorrer ao Supremo e já avisou que não vai instalar a CPI da Lava Toga, proposta por senadores bolsonaristas. Também afirmou que a decisão do ministro Luís Roberto Barroso, que autorizou a busca e apreensão, seria “uma injustiça” e o ministro só faltou sacudir os ombros.

Cabo de guerra
O timing do leilão de licenças de 5G virou uma queda de braço. De um lado, a área técnica da Anatel, que considera impossível realizar a licitação antes junho de 2020; do outro, Ministério da Economia, que quer colocar essa receita na conta (estima-se em até 20 bilhões) já no primeiro trimestre do ano – e certamente levará a melhor nesse cabo de guerra.

Lá na frente
Num evento da semana passada, o ministro Paulo Guedes disse que, em 2020, o PIB avança “ao menos o dobro do verificado neste ano” e “no terceiro ano já decola”. Um empresário gravou e disse a um amigo: “Quero ver o que ele vai falar lá na frente quando tudo isso não acontecer”. O outro emendou rápido: “Não dirá nada. Já terá caído fora do governo”.

Íntimas, não
Participando de encontro nacional de diretores de departamentos de homicídios, o governador Wilson Witzel, do Rio, defendeu o fim da visita íntima aos presos. “Onde é que nós estamos com a cabeça? Você tira a liberdade do sujeito, mas não tira a liberdade sexual dele? O que é isso? Perdeu, sim!”.

Quanto custa
Dados da União Parlamentar, em pesquisa em parceria com as Nações Unidas: o Congresso Nacional gasta R$ 10,8 bilhões por ano. É o segundo mais caro do mundo. Só perde para os Estados Unidos. São quase R$ 30 milhões por dia pagos pelos cofres públicos. Trabalham mais de 25 mil pessoas no Congresso. Há senador com séquito de 78 senadores, trabalhando só para ele. Cada congressista brasileiro custa seis vezes mais que um parlamentar francês.

“Exagero do rei”
Em 21 de novembro de 1964, na Vila Belmiro (Santos), o fotógrafo Antonio Lúcio registrou cenas importantes do jogo entre Santos e Botafogo (Ribeirão Preto), no qual o time de Pelé venceu por 11 a zero. Na ocasião, Pelé marcou por 8 vezes, estabelecendo o recorde dele numa mesma partida. Tudo isso vai virar livro-mídia com narração criativa dos gols e resumo do jogo. De quebra, palestras gratuitas dos autores Antero Grego e Roberto Salim. A Capella Editorial já conseguiu sinal verde do Pronac para captar R$ 364,5 mil. Título do livro: Exagero do rei.

Problema
Brasileiros que estão se mudando para Portugal em busca de melhores oportunidades confessam sua surpresa ao saber que casas e apartamentos não possuem dependências para empregadas domésticas. Razão: fixas ou diaristas, essas profissionais, historicamente, não dormem no mesmo local onde trabalham durante o dia. E os portugueses também se surpreendem com os imóveis brasileiros que sempre dão atenção ao quarto da empregada, mais sanitário e banheiro.

“Siameses”
Na semana passada, em meio a grande movimentação na Câmara surgiu uma discussão em torno do nome do presidente do Senado e Rodrigo Maia proclamou que “ele e Davi Alcolumbre são irmãos siameses”. Os que melhor conhecem caminhos e vícios do Congresso alertam que “não é bem assim”. E até apostam numa espécie de “jogo combinado”, que significa “um morde e o outro assopra” ou exatamente ao contrário.

Susto geral
A ação da Polícia Federal com mandado de busca e apreensão nos gabinetes de Fernando Bezerra no Senado e de seu filho Fernando Bezerra Coelho Filho na Câmara, deixou uma legião de congressistas assustados. No Senado, seus integrantes não escondiam: “Se isso acontece com o líder do governo, imagina o que não pode acontecer com qualquer um de nós”. E reacendeu um movimento suprapartidário de autoproteção dos senadores.

Padrinho
Quem recomendou a Bolsonaro, há meses, o nome do senador Fernando Bezerra Coelho para ser líder no Senado foi chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni. A eventual demissão de Bezerra pode acabar se transformando num pretexto para Onyx sair do governo também. Até porque anda fazendo muito pouco na Casa Civil.

Longe demais
Muita gente já acha que Davi Alcolumbre, presidente do Senado, está esticando a corda em excesso quando exige explicações do Supremo sobre as investigações policiais contra Fernando Bezerra Coelho.

Compra-se
A Record do bispo Edir Macedo estaria interessada em comprar a semi-liquidada Oi. Esse repentino interesse está ligado a futuras mudanças na área de comunicações quando operadoras de telefonia poderão produzir conteúdo para televisões.

Novo round
A Toyota vai investir R$ 1 bilhão em sua planta de Sorocaba, interior de São Paulo e o governador João Doria festejou na sede da própria montadora, como sendo uma conquista do Estado. Bolsonaro reclamou no Twitter, dizendo que é através de um programa federal. E Doria emendou: “Eu recomendo ao presidente que trabalhe mais e tuite menos. Agora não é hora de dissidências. Eu não quero entrar em polêmica, nem estimulá-las”.

Consigliere
Quem tem se esmerado em conselhos e orientação para Davi Alcolumbre, presidente do Senado, que agora já tem andado com o nariz empinado e o peito (alguns acham que é barriga) estufado, é o senador Renan Calheiros (MDB-AL). Ex-presidente da Casa, Renan anda pilotando, muita discrição, até mesmo mudanças no corpo de funcionários de lá.

Sem poder
Até agora, nenhum deputado do PSL entregou os cargos que tem no governo do Rio de Janeiro, malgrado a orientação e a pressão do senador Flávio Bolsonaro. A bancada da sigla conversa esta semana com o governador Wilson Witzel para tentar ajeitar as coisas e manter as indicações.

Perfumaria
A senadora Soraya Thronicke (PSL-MS) foi altamente criticada por manter sua assinatura no projeto da CPI Lava Toga. Diz que não irá ceder as pressões e assinará todas as vezes que for solicitada. Não teme a expulsão do partido e manda recado: “Eu estou de acordo com minha consciência. Estou preocupada em ajudar o presidente. Isso tudo, para mim, é perfumaria. Não conhecer os bastidores e ficar falando, é fácil. Não vou me meter nisso, não vou tocar nesse assunto. O que importa são os pacotes econômicos, as bandeiras do presidente: e eu estou com ele e não abro”.

Vai revogar
Alcides Martins, procurador-geral interino irá revogar algumas nomeações feitas por Raquel Dodge nos últimos dias de sua gestão. Muitos diziam que Alcides deixaria a revogação a Augusto Aras, mas ele resolveu antecipar.  Uma das nomeações que deverá cair é a do procurador do Trabalho Carlos Eduardo Brisolla, que assumiria o cargo de diretor geral adjunto da Escola Superior do Ministério Público da União.

Movimento
O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, há muito tempo não agrada grande parte dos congressistas, tanto que foi afastado das negociações da reforma da Previdência. Agora existe um movimento de senadores que querem afastar Onyx da Casa Civil e já até tem um nome para substituí-lo: Rogério Marinho.

Com recomendações
O cirurgião Antônio Macedo, responsável da cirurgia de hérnia do presidente Jair Bolsonaro e responsável pela sua avaliação, autorizou a viagem do Chefe do Governo brasileiro para Assembleia da ONU com recomendações. Por se tratar de um voo longo, cerca de dez horas, recomendou o uso de meias elásticas, aplicação diária de injeção anticoagulante e que Bolsonaro caminhe pelo avião evitando ficar muito tempo sentado.

Nova data
O pacote anticrime enviado pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro já tem uma nova data para ser votado na Câmara. O projeto foi pautado para ser votado dia 2 outubro. Se ninguém mudar de ideia.

Segunda
O pedido de Lula para afastar o procurador Mauricio Gotardo Gerum do processo sobre o sítio de Atibaia foi rejeitado pelo TRF-4. Os advogados do ex-presidente podem atrasar o julgamento do caso, mas nada poderá anular o fato de que a propriedade foi reformada com propina da Odebrecht e da OAS, elemento básico para condenação.

Quem é herói
O líder do PSL, Delegado Waldir, disse para Veja: “O Moro tem uma bancada maior que a do governo. Ele tem mais credibilidade que o presidente porque é um herói nacional. Colocou na cadeia um presidente da República, governadores, parlamentares e os maiores empresários do país. O presidente é um fenômeno eleitoral, mas ele vai ter de construir esse papel de herói. O Moro já é um trabalho mostrado”. Detalhe: Bolsonaro odiou o que o Delegado Waldir falou.

Negado
O juiz Marcelo Bretas negou pedido de Michel Temer que pretendia viajar para a Inglaterra com sua mulher Marcela. Por ele, o ex-presidente estaria preso até hoje. Sua prisão em abril, mantida pelo TRF-2 foi derrubada pelo STJ.

Apelido
Parlamentares ligados à base do governo também tem reclamado que o ministro Luiz Henrique Mandetta (Saúde) não recebe ninguém. Tem senador e deputado aguardando até três meses por uma audiência. Às vezes Mandetta marca e uma semana antes, uma secretaria liga avisando que não vai dar por “problemas de agenda”. Os políticos já apelidaram o gabinete de Luiz Henrique de “SUS”, onde, dependendo do hospital, uma cirurgia ou mesmo um exame pode ficar na fila até um ano – ou mais.

Consequência
A ação de busca e apreensão na casa e no gabinete de Fernando Bezerra afeta outro patamar. Caso Bezerra deixe o cargo de líder do governo no Senado, quem também será afetado é o deputado Eduardo Bolsonaro. Bezerra era um dos principais articuladores para ida do 03 para embaixada em Washington. Com sua possível queda, ganha força o movimento contra a indicação de Eduardo.

Futuro
O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, esteve no programa Conversa com Bial, na semana passada. À certa altura, Pedro Bia, pergunta ao deputado se ele pretende ser candidato à presidente em 2022. De bate-pronto Maia responde: “Só vou disputar uma eleição majoritária no Brasil se entender que terei condições de mudar a minha cidade, o meu estado e o meu país”.

Trans na linha
Uma suposta conversa entre Carlos Bolsonaro e a cosmetologista paulista Mariah Fernandes, que é trans, viralizou na internet. O diálogo foi publicado pela influencer Rainha Mato, que só cuida de segredos de pessoas públicas. Carlucho falara para Mariah avisar “caso o beijo enviado por ela não chegue ao destinatário” e depois, tenta mudar de assunto e pergunta “onde a senhorita mora”. Mariah é playmate, já saiu na capa de Playboy de Portugal e autografou na capa para Bolsonaro como “o maior machista do Brasil”.

OLHO MÁGICO

fotos: Fernando Tomaz // Divulgação

Moda tem peso
A atriz e apresentadora Giovanna Ewbank, 33 anos, é uma das capas da Harper’s Bazaar Brasil. Afastada há um tempo das novelas, ela tem se dedicado ao seu canal do YouTube o Gioh, que tem mais de três milhões de escritos. Também deve estar à frente no início do ano que vem da segunda temporada do No paraíso com a Gio, na GNT. Em entrevista, garante que a maternidade (adotou duas crianças no Malaui, Titi, 6 anos e Bless, 4 anos) trouxe brilho à sua vida e se culpa um pouco por não ter muito tempo para eles. Agora, Giovanna vai se aventurar na moda infantil com a grife I am, ela já trabalha com moda é cocriadora das coleções da New Beach (moda praia). “Moda tem um peso para mim, não é só vestimenta. Ela quebra paradigmas, preconceitos. A moda inclui”.

Edições Anteriores:  
__________________________________________________________
 IN & OUT

 

;-) Jeans tradicional



:-( Jeans destroyed

ONE CARTOON


Os trabalhos dos mais criativos cartunistas selecionados na web.




 

Esta coluna é fechada de
segunda a sexta às 16:00

(exceto feriados)


 

 

 

 


 © Copyrights: É proibida a reprodução, total ou parcial, do texto e de todo o conteúdo sem autorização
 do titular desta coluna eletrônica. Entre em contato com o autor pelo email gibaum@gibaum.com.br