“Conversamos para tentar construir algum tipo de consenso. Mas são visões muito diferentes. Era muito difícil fechar um acordo”,

de André Figueiredo, vice-presidente nacional
do PDT, sobre o Centrão ter fechado
aliança com Geraldo Alckmin.

Ano XVI - 21 a 23 de julho de 2018

 

 

Olho nos combustíveis
Dados da Fundação Getúlio Vargas: fraudes e sonegações fiscais no setor dos combustíveis tiram dos cofres públicos cerca de R$ 4,8 bilhões por ano do Brasil. Sozinho, o setor responde por  cerca de R$ 60 bilhões da dívida ativa no país, com crescimento da ordem de R$ 5 bilhões. Em São Paulo, as 20 maiores empresas inadimplentes têm R$ 20 bilhões em dívida ativa (dessas, pelo menos 15 estão inativas). O impacto da sonegação é expressivo devido o setor ser a fonte número um de arrecadação nacional, com projeção de R$ 134 bilhões para 2018.

Menos incentivos
O presidente Michel Temer não deverá vetar o artigo da LDO para 2019 que determina que o governo encaminhe ao Congresso, até 31 de agosto, projeto de lei da revisão de benefícios tributários e financeiros que permitem reduzir em pelo menos 10% os atuais gastos da União com subsídios. No ano passado, para quem nem imagina, o total de subsídios da União alcançou R$ 354,7 bilhões, ou seja, 5,4% do PIB.

Exemplos
Os exemplos da distribuição de incentivos fiscais no país é dos mais inusitados. Por exemplo: comprando uma garrafa de água mineral, não se paga um centavo de PIS e nem de Cofins, o que também acontece na compra de qualquer tipo de queijo exposto nas prateleiras. Na compra de uma moto, há isenção de IOF na operação de crédito. Comprando um carro a prazo, paga-se IOF. Já um barco ou um avião, não se paga PIS e Confins na compra. E por aí vai.

De volta
Depois de cinco meses na Colômbia, dando um curso sobre combate à corrupção da Universidad de los Andes, está de volta ao Brasil o ex-procurador-geral da República, Rodrigo Janot, exibindo um cavanhaque e nova silhueta. Emagreceu 27 quilos, graças a seis meses de baixa caloria. Agora, se prepara para entrar na iniciativa privada. Assim que se aposentar, quer abrir escritório próprio especializado em compliance. Mais: Janot considera as decisões da Segunda Turma do Supremo uma contramão na Lava Jato.

Novos rumos
Depois de muitas reuniões no final de semana, o PCdoB deve anunciar no começo da semana se mantém ou não a candidatura de Manuela D’Ávila. Ciro Gomes e o PT querem o partido em suas chapas e os petistas já acenaram com a vaga de vice, o que não quer dizer muita coisa porque fizeram o mesmo com o PR de Valdemar Costa Neto.

Isolado
Jair Bolsonaro está ficando isolado, depois de contabilizar duas derrotas. O PSL anunciava que, com a chegada de Bolsonaro, o partido ganharia grande bancada: ficou apenas com oito deputados (incluindo o Capitão). Onix Lorenzoni (DEM-RS) chegou a anunciar que a candidatura de Bolsonaro teria o apoio de 100 deputados. Tinha até uma carta com assinaturas embaixo do prazo: na verdade era uma folha de papel em branco. O PR e o PRB deixaram Bolsonaro falando sozinho.

Lado espiritual
Na prisão, o ex-presidente Lula desenvolve seu lado espiritual recebendo líderes de várias áreas, tudo coordenado por Gilberto Carvalho, ex-ministro e ultracatólico. Já conversou com Nadal Alves Gomes, bispo da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil e até recebeu hóstia. Outro que conversou com o petista foi o pai de santo do terreiro de umbanda Casa do Pai Tobias da Guiné, muito conhecido no Paraná. Dentro de dias, será a vez de um rabino e na sequência, provavelmente D. Cláudio Hummes, Arcebispo Emérito de São Paulo, que bem conhecia nos tempos de sindicalismo no ABC.

Guinada
O Centrão – DEM, PP, PRB e Solidariedade – fecharam acordo com Alckmin, que passara a ter 4 minutos e 6 segundos na TV no Horário Político Eleitoral. Com Roberto Jefferson (PTB) e Valdemar Costa Neto (PR), uma guinada arriscada, uma aliança com dois caciques que foram presos e condenados por corrupção no mesmo escândalo. Agora, há quem aposte que não será surpresa se o MDB desista de Henrique Meirelles para apoiar o tucano.

Exercícios
Ainda o cotidiano de Lula na prisão: ele passa cerca de uma hora por dia na esteira, onde caminha em média seis quilômetros. Quando está mais disposto, intercala uma corrida leve. Nesses três meses de prisão, já perdeu cinco quilos. E deixou de jantar: às sete da noite, apenas uma salada, no geral, levada por um advogado.

Fatias de apoio
Quem ninguém imagine que esse apoio do Centrão para a candidatura de Geraldo Alckmin foi uma homenagem aos últimos fios de cabelos que o ex-governador paulista ostenta no topo da cabeça. As principais fatias do colossal bolo que é o governo federal já foram ensaiadas (algumas prometidas) entre as partes envolvidas, tudo como estabelece a velha política brasileira. Só que ninguém abre a boca. Por enquanto, só patriotismo.

Milhões de fiéis
Nesses dias, o PRB usou sua ligação com evangélicos como ativo para defender Alckmin, super católico, no Centrão. O partido é identificado com a Igreja Universal do Reino de Deus, do bispo Edir Macedo, que afirma ter sete milhões de fiéis. Já Paulinho da Força, presidente do Solidariedade, estrila e diz que seu partido “não de decidiria pelo peso da igreja”.

Soltou a franga
Olga Curado, que já treinou Lula, Dilma e Aécio para debates, está fugindo de políticos nessa eleição. Não está disposta a treinar nenhum deles. Mas faz definições: “O Bolsonaro é o mais perigoso, não pela questão ideológica, mas pelo despreparo”. E sobre Geraldo Alckmin recomenda: “Ele precisa abrir a boca. Alckmin deveria soltar a franga”.

Decisão
Até 15 de agosto, ou melhor, alguns dias antes os partidos deverão tomar uma decisão sobre a corrida presidencial: se lançarão ou não candidatos ou se não quem apoiarão. Serão praticamente 20 dias de muitas decisões. PDT, de Ciro Gomes lançou sua candidatura na última sexta (20). No próximo dia 22, PSL é que lançará oficialmente a candidatura de Jair Bolsonaro. Dia 2 de agosto o DEM deverá lançar oficialmente seu apoio a Geraldo Alckmin, que deverá confirmar sua candidatura dia 4.  No mesmo dia o PT deverá tomar uma posição sobre ou não o lançamento da candidatura de Lula ou outro nome, assim como o Podemos que deverá lançar Álvaro Dias como candidato.  Já partidos como Avante, PMN, PTB, PV, PSD, PPS, PR e PSB deverão decidir se apoiarão ou não algum candidato já que não tem nenhum nome na disputa presidencial.

Profecia
Com quase 30 anos de atuação em campanhas eleitorais, o estatístico Paulo Guimarães, considerado o guru do DEM diz que Lula tem potencial para elevar para 20% a 22% as intenções de votos do candidato do PT, seja Fernando Haddad ou Jaques Wagner e que isso pode colocar a sigla no segundo turno. Mas, segundo ele, a transferência de votos não superará esse percentual e dependerá de Lula, preso, fazer campanha. “Se conseguir, quem mais perderá votos será Ciro Gomes”.

Missão especial
Rodrigo Garcia (DEM) foi confirmado como vice na chapa de João Doria ao governo paulista. Deverá trabalhar, de cara, na reconciliação de Doria com Geraldo Alckmin para unir as duas campanhas. Ricardo Tripoli deverá ser candidato ao Senado com Alda Marco Antonio como primeira suplente (ela é a cota do PSD de Gilberto Kassab que sonha com secretarias ou ministérios se Alckmin leva).

Gorda educação
Dados da Secretaria do Tesouro Nacional: nos últimos 10 anos, o número de funcionários do Ministério da Educação saltou de 189.637 para 299.244, um incremento de quase 110 mil postos de trabalho, a maioria com estabilidade de emprego, aposentadoria quase integral e outros benefícios assegurados apenas ao funcionalismo. Já o Brasil vive na educação o pior dos mundos: gasta-se muito mais com alunos (pobres) que continuam aprendendo pouco ou nada.

Outro vice
Apesar de estar cotada para ser vice na chapa do PSL, encabeçada por Jair Bolsonaro, Janaína Paschoal, não faz muito o estilo do presidenciável, que tem outro nome da cabeça. Depois de seu sonho de ter o general da reserva Augusto Heleno escorrendo entre os dedos, agora cogita o nome de outro general da reserva, Antonio Mourão. No ano passado, Mourão defendeu uma intervenção militar como saída para a crise.

Do lado de Ciro
Geraldo Alckmin (PSDB) pode ter conseguido levar o Centrão para seu lado, mas Ciro Gomes (PDT) que também estava cotado, parece se aproximar cada vez mais do PSB. Há quem garanta que o bloco do Centrão só não fechou com Ciro por causa do seu temperamento, e é com isso que a sigla se preocupa.

O baixinho na frente
Um levantamento feito pela Paraná Pesquisa sobre a intenção de votos para o governo do Rio de Janeiro apontam Romário na frente com 24,3% da preferência. Em segundo lugar, aparece Eduardo Paes com 15,1%, seguido por Anthony Garotinho (13,5%), Índio da Costa (7,2%) Márcia Tiburi (2,1%) e Marcelo Trindade (2%).

Rejeitados
Ainda sobre o levantamento da Paraná Pesquisa: o mesmo aponta que 72,5% dos eleitores cariocas não votariam de jeito nenhum em Anthony Garotinho e 62% em Eduardo Paes. Romário tem um índice de rejeição de 47,6%.

Convenceu
No final do ano passado o deputado federal, cantor e humorista Tiririca anunciou que iria terminar seu mandato e sairia de vez da política, por estar enojado por tanta corrupção. Só que Valdemar Costa Neto e Antonio Carlos Rodrigues conseguiram convencê-lo a tentar sua reeleição. Tiririca deverá aparecer ao lado de Geraldo Alckmin em alguns comícios.

Bons contratos
Ex-ministro do Supremo, Sepúlveda Pertence sempre trabalhou de graça para Lula. Se bem que o PT lhe rendeu contratos milionários. Na Caixa, graças à indicação do partido, ele recebe, até hoje, por um contrato R$ 500 mil, com bônus de R$ 2 milhões.

Chama o Meirelles
Henrique Meirelles já tem jingle para sua candidatura. É no ritmo de forró e a musica repete slogan que o ex-ministro tenta emplacar: “Chama o Meirelles”. Já o PT resolveu pegar uma corona e lançou outro forró, para promover a imagem de Lula. A música do ex-ministro diz: “Chama, chama, chama o Meirelles”. A de Lula: “Chama, chama, que o homem dá jeito”.

Compromisso
Entre outros assuntos conversados com integrantes do Centrão, o candidato Geraldo Alckmin (PSDB) disse a Paulinho da Força, presidente do Solidariedade, que vai analisar medidas para solucionar o financiamento dos sindicatos sem o imposto sindical. E ao DEM, sinalizou que, se eleito, apoiará a manutenção de Rodrigo Maia na presidência da Câmara dos Deputados.

Vices
O PR filiou o empresário Josué Alencar na tentativa de fazê-lo vice do candidato melhor posicionado nas pesquisas. O PP também assinou ficha do empresário Benjamin Steinbruch com o mesmo objetivo.  Como três vice-presidentes assumiram o poder nas últimas décadas (Sarney, Itamar e Temer) é natural que o posto tenha se tornado objeto de cobiça dos partidos e desconfiança do titular.

Mais complicado
Depois do acordo fechado entre Centrão e Geraldo Alckmin em torno da presidência, outras alianças entre DEM e PSDB devem se fechar em circuitos estaduais. O mais complicado de todos será em Minas Gerais onde Antonio Anastasia (PSDB) e Rodrigo Pacheco estão na disputa do governo mineiro. Aparentemente, ninguém que abrir mão da posição. No entanto, os dois admitem que podem conversar. O PSDB disse que apoiaria Pacheco para o Senado, que não gostou muito da ideia. Há quem garanta que o mais propenso a ceder será Antonio Anastasia, que não queria mesmo entrar na disputa pelo governo mineiro, o único problema é que ele aparece na frente em todas as pesquisas.

Decotes, fendas e transparências
O jogador Neymar) promoveu o 2º Leilão em beneficio do Instituto Neymar, na quinta-feira (19). No total foram arrecadados R$ 3,5 milhões. Entre os itens mais caros arrematados estavam assistir um jogo do PSG no camarote com direito a encontro e foto com o craque, onde sua namorada, Bruna Marquezine brincou: “Eu vou junto!”, fazendo os lances aumentarem e chegar R$ 125 mil; seis diárias na Posada Maria Bonita Noronha, em Fernando de Noronha, de propriedade de Bruno Gagliasso e Giovanna Ewbank por R$ 120 mil. Por lá passou uma legião de celebridades ostentando, decotes, fendas, recortes e transparências, entre tantas, Nadine, mãe de Neymar, as jornalistas Ana Paula Padrão e Gloria Maria, as grávidas Sabrina Sato e Isis Valverde, Fernanda Motta e mais nova solteira do pedaço, Laura Neiva, ostentando cabelo cor de rosa.

 

OLHO MÁGICO


fotos: Jorge Bispo //divulgação

Parei de me cobrar
A atriz
Maria Flor, 34 anos, está fazendo maior sucesso com sua personagem Samira na série 3% da Netflix. Num ensaio super ousado com cliques de Jorge Bispo para revista Trip, onde fala sobre a carreira, sexualidade e cobranças. “Parei de me cobrar para ser uma mulher perfeita, gata, sarada, bem-sucedida e em um casamento perfeito. Sei que nunca serei essa pessoa”. E sobre maternidade: “Ter filhos é uma questão seríssima para mim neste momento. Rejeito a ideia de que as mulheres são obrigadas a ser mães. Ao mesmo tempo, sinto muito medo de chegar aos 60, olhar para trás e me arrepender. Mas a real é que eu nunca pensei em ser mãe”.

Projeto Down
Edições Anteriores:  
__________________________________________________________

 IN & OUT

  ;-) Saia com sapatilha. :-( Saia com tênis.

ONE CARTOON


Os trabalhos dos mais criativos cartunistas selecionados na web.




 

Esta coluna é fechada de segunda a sextas às 16:00



 © Copyrights: É proibida a reprodução, total ou parcial, do texto e de todo o conteúdo sem autorização
 do titular desta coluna eletrônica. Entre em contato com o autor pelo email gibaum@gibaum.com.br

ssss