“Na verdade, pratica-se intolerância acu-sando o presidente de ser intolerante. Deixa ele perder a próxima eleição então, ué”,

 

de Paulo Guedes, sobre a polêmica da
vacina obrigatória ou não.


Ano XVIII - 30
de outubro de 2020

 

Outro cenário
O Brasil não estará entre as prioridades de Joe Biden. Ele tem ideias claras de como tratar amigos e não amigos e conhece bem o Brasil. Em 2013 quando foi revelado que a Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos espionava até o telefone do avião presidencial brasileiro, Obama deu a Biden a missão de descongelar as relações com o governo de Dilma Rousseff. Biden, se for o próximo presidente dos EUA, não vai sair de seu conforto para tratar uma relação bilateral com o Brasil. É provável que ele guarde suas forças para relações complicadas com o chinês Xi Jinping e o russo Vladimir Putin. Biden considera Bolsonaro politicamente tóxico. E não vai recebê-lo para jantar na casa Branca.

Quente
A briga entre Brasil e Venezuela chegou ao futebol. Os dirigentes do Caracas, que iria enfrentar o Vasco, no Rio, acusam o governo brasileiro de perseguição política. Na segunda-feira (26), a delegação ficou mais de dez horas no aeroporto de Caracas à espera da liberação das autoridades do Brasil para embarcar. A Anac joga a culpa na companhia aérea Aerolineas Estelar.

Tarifa mantida
A tarifa de energia produzida em Itaipu deverá ser mantida em US$ 22,60 / quilowatt para 2021. O Conselho da hidrelétrica se reúne para discutir o assunto, mas confirma a proposta de manutenção do valor que, depois, deverá ser referendado pela agência reguladora e será um alívio para as distribuidoras. Havia no mercado um temor que a Itaipu reajustasse a tarifa para compensar aumentos de despesas em dólar.

Aquele abraço
Rodrigo Maia, nesses dias, pediu a palavra durante a fala da presidente do PT, Gleisi Hoffmann, para parabenizar Lula, duas vezes condenado por corrupção e réu no quarto processo. Até deixou “um abraço” ao petista.

Virtual
Após ser aprovado no plenário do Senado por 57 votos a 10, em sessão semipresencial, Kássio Nunes tomará posse como ministro do Supremo Tribunal Federal, em cerimônia virtual, dia 5, na semana que vem.

Veterano
Candidato à prefeitura de Manaus com apoio ostensivo de Bolsonaro, Coronel Menezes (Patriota) patina desde a largada. Já o veterano político Amazonino Mendes lidera com folga em todos os levantamentos.

Outro acordo
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, assinou mais um acordo de paz na região do Oriente Médio e África do Norte. Os EUA vão ajudar o Sudão financeiramente em troca do país africano reconhecer o estado de Israel. É o quarto acordo mediado por Trump na região.

Menos é mais
A Confederação Nacional da Indústria prevê que a economia brasileira vai retrair 4,2% neste ano de pandemia. No auge da crise, teve quem acreditasse que o tombo seria de 9%.

Para inglês ver
O Ministério da Economia jogou na Dataprev a culpa pelo cancelamento da reunião do Codefat, que discutiria o pagamento de duas cotas extras do seguro-desemprego para os demitidos durante a pandemia. A alegação é que a estatal não disponibilizou a tempo a base de dados atualizada dos beneficiários. A interpretação é que não passa de conversa para inglês ver. Paulo Guedes quer distância dessa proposta.

Reforços
A Lava Jato respira: a força-tarefa do Rio está prestes a receber reforços. Serão pelo menos três novos procuradores. Eles deverão se dividir em investigações e processos relacionados em quatro braços da operação: Arco Metropolitano, PAC das Favelas, Saqueador e Eletronuclear.

Quem manda
O próprio Jair Bolsonaro determinou que o Ministério da Justiça anuncie ainda este ano a realização de concurso público para a Polícia Federal. As provas deverão ocorrer até março de 2021. Paulo Guedes havia brecado a contratação de servidores até dezembro de 2021. Lembrando Eduardo Pazuello, “um manda, outro obedece”.

Um e outro
Bolsonaro entra na campanha de Crivella, no Rio, muito distante do primeiro colocado nas pesquisas, Eduardo Paes. Em compensação, em São Paulo, Celso Russomano contém a presença de Bolsonaro, mesmo em fotos, ou no programa gratuito eleitoral.

Não vai fechar
O repentino encantamento de Jair Bolsonaro pela TV Brasil, a famosa TV Zero de governos anteriores, deve ser creditado na conta do chefe da Secom, Fábio Wajngarten. Foi dele a ideia de que a emissora estatal passasse a transmitir jogos da seleção brasileira em parceria com a CBF. Wajngarten vê a chance do governo Bolsonaro surfar no aumento da audiência da rede. E o presidente assumiu decidido a fechar a TV Brasil.

Primeiras
Tarcísio Freitas tem trabalhado junto ao TCU para destravar, até dezembro, o processo de concessão da BR 262 e da BR 381. Os dois leilões, previstos para ocorrer até março de 2021, têm um valor simbólico. Serão as primeiras licitações de rodovias após a pandemia.

Racha
A decisão da Comissão Técnica Nacional de Biossegurança de discutir a possibilidade de plantio de trigo transgênico no Brasil está provocando um racha no setor. De um lado, a Embrapa, uma das maiores interessadas na autorização – a estatal já realiza pesquisas para produzir sementes geneticamente modificadas; de outro, ambientalistas e até mesmo a Associação da Indústria do Trigo, contrários ao produto transgênico.

Mais
Aumentou a participação muito comportada do ex-presidente Lula no horário gratuito de Jilmar Tatto, candidato petista à prefeitura de São Paulo. A família Tatto sempre foi boa de votos, mas não está acontecendo isso, malgrado o horário não pequeno, de Jilmar que resolveu reforçar a dose para ver se decola. Por enquanto, apenas alguma ameaça de mais intenções de votos.

Plano de saúde
Empresas de ônibus do DF bancam plano de saúde para seus empregados, cujo valor mensal é transferido ao sindicato dos rodoviários. A empresa Hapvida cobra R$ 260,12 de cada um dos 11.500 planos de saúde, mas o sindicato exige R$ 277,29 das empresas de ônibus. A manobra garante sobra de R$ 200 mil mensais e R$ 2,4 milhões anuais ao sindicato. Esses custos e a sobra esperta impactam na tarifa paga pelos usuários e o governo do DF.

Bloqueada
Jornal mais antigo em circulação nos EUA, o New York Post continua com a conta bloqueada no Twitter, depois de divulgar matéria que revela e-mails comprovando as ligações e influência do candidato democrata Joe Biden com o negócios do filho na Ucrânia e outros países.

Balançando
O deputado Arthur Lira, íntimo de Jair Bolsonaro, é forte candidato a substituir Onyx Lorenzoni no Ministério da Cidadania. Lorenzoni já sabe e está tentando se mexer para sobreviver.

Vai investir
Bolsonaro fará nova visita à Arábia Saudita até março de 2021. Em pauta, acordos no agronegócio e na infraestrutura. No ano passado, após encontro com o príncipe herdeiro Mohamed Bin Salman, Bolsonaro disse que os árabes iriam investir US$ 10 bilhões no Brasil – e até agora, nem sinal.

De volta
Uma rede de postos de gasolina quer inovar: em vez de ter somente lojas de conveniência, pretende construir em alguns postos específicos lojas de departamento. A novidade maior é que essas últimas teriam a marca Mesbla, conforme negociação que vem sendo realizada nas últimas semanas.

Sondado
O empresário Rony Meisler vem sendo sondado para se filiar ao Partido Novo. Ex-sócio de Luciano Huck, tempo agora ele tem: fechou a venda da grife Reserva para a Arezzo.

Herança
Rubens Novaes saiu, mas ainda manda no Banco do Brasil. A nomeação de Marcos Hamilton Ferreira para a presidência do BB Seguridade deve ser creditada ao ex-presidente do banco. Ferreira foi um dos executivos próximos de Novaes durante sua gestão. E também por indicação dele comandou a Brasilprev.

Admitindo erros
O ritmo acelerado da recuperação econômica do Brasil na crise da pandemia já desfez todas as previsões apocalípticas. O FMI, por exemplo, admitiu erro: em vez de trágicos 9,1% da queda do PIB que chutava em junho, já ajustou para 5,8%. O Boletim Focus, do BC, previa retração de 6,54% agora vê 4,8%. Daqui a pouco alcança a pandemia de Dilma em 2015.

Em família
A Câmara acaba de aprovar o advogado Mario Maia para representar a Casa no Conselho Nacional de Justiça, indicado por partidos de direita e de esquerda. Ele é filho do ministro do STJ Napoleão Nunes Maia.

Pesquisa
Pesquisa Rasmussen, na contramão de todas as outras, previu a reeleição de Donald Trump com 48% dos votos. Joe Biden teria 47%. Em 2016, o instituto dava empate entre Trump e Hillary Clinton com 44% cada a seis dias da eleição, contrariando todos aos demais levantamentos.

Mais uma
Bolsonaro revogou decreto, que teve algumas críticas, que autorizava estudos para adotar investimentos privados para concluir as obras de 4 mil unidades básicas de saúde e 168 UPAs. Resumo da ópera: o decreto era bom.

Antes e depois
Em janeiro, antes do alastramento do vírus pelo mundo, as previsões de mercado para o crescimento da economia brasileira chegaram a 2,31%. Balanço comercial e juros foram índices que melhoraram passando de US$ 37 bilhões para US$ 58 bilhões e de 4,5% para 2%, respectivamente.
 
Só no Brasil
No Brasil é possível se ver tudo, mas a última chega beirar o absurdo. O deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ) foi flagrado no aeroporto sem máscara e ao ser solicitado para o usar da proteção utilizou o respaldo da lei 14.019/20 art3° §7°. Este artigo prevê dispensa do uso da máscara “de pessoas com transtorno do espectro autista, com deficiência intelectual, com deficiências sensoriais ou com quaisquer outras deficiências que as impeçam de fazer o uso adequado de máscara de proteção facial, conforme declaração médica, que poderá ser obtida por meio digital”. E ao ser liberado ironizou: Com licença médica que me garante o não uso e continuei a missão. Essa focinheira ideológica tem que ser combatida”.

Será?
Correm boatos em Brasília de que Jair Bolsonaro está muito nervoso com as eleições presidenciais nos Estados Unidos. Tudo porque as pesquisas  mostram vitória de Joe Biden. Bolsonaro teria até confessado a pessoas mais próximas que caso Donald Trump não ganhe as eleições existe uma possibilidade de que ele desista de sua tentativa  à reeleição.

Invadida
O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, garantiu que sua conta no Twitter foi invadida, após um post em que Rodrigo Maia, presidente da Câmara, era chamado de “Nhonho”. Algum tempo depois a postagem foi apagada e Salles garante que só fez procedimentos de segurança e que já havia acionado a Polícia Federal para pedir investigação sobre o caso.

Em paz
Na semana passada um encontro que durou a tarde toda selou a paz entre o ex-presidente Lula e o ex-ministro Ciro Gomes. A relação dos dois estava estremecida desde as eleições de 2018, onde Lula havia prometido a posição de vice em sua chapa, como teve sua candidatura bloqueada, prometeu que apoiaria Ciro, o que não ocorreu.  Há quem garanta que esta aproximação dos partidos de esquerda, PT e PDT já mira na disputa presidencial de 2022. O intermediário do encontro entre os dois foi Camilo Santana, governador do Ceará.

Queria ser a Sandy
A cantora e atriz Antônia Morais, 28 anos, está focada agora em sua carreira musical. Acaba de lançar seu primeiro álbum, Luzia 20.20, e conta que sua veia artística já se manifestava desde a infância, quando fazia showzinhos para a família e brinca: “Eu queria ser a Sandy de qualquer jeito”. Apesar de seus pais Glória Pires e Orlando Morais estarem no meio ela diz que eles nunca influenciaram em sua decisão sobre qual profissão seguir e dá o exemplo de seu irmão Bento que não sonha com a carreia artística. De volta a São Paulo depois temporada em Brasília e do término de seu namoro, está morando com pais, só que garante que em breve voltará a morar sozinha.

OLHO MÁGICO
Fotos: Bob Wolfeson // Reprodução

Primeira capa

Gessica Kayane Rocha de Vasconcelos, ou melhor Gkay, sempre sonhou em trabalhar com arte, mas só em 2013 inspirada em Whindersson Nunes, começou fazer sucesso com os vídeos engraçados que começou a colocar no YouTube, onde hoje tem mais de 1 milhão de inscritos. Nascida em Solânea, no interior da Paraíba ficou mais conhecida após interpretar Jennyfer no programa Os Roni, juntamente com Rafael Cunha, Whindersson Nunes, Tirullipa e Tom Cavalcante. Com 9,7 milhões de seguidores no Instagram posa para sua primeira capa de revista Harper’s Bazaar Brasil. Em entrevista garante que só largaria agora a internet, por sua saúde mental. Mais: garantiu que acredita muito que seu papel de influenciadora e humorista  é muito importante na vida de outras pessoas. “É realmente necessário impactar pessoas e contribuir para a vida delas porque, às vezes, você pode pensar que ‘isso é só um vídeo’, mas é um afago em meio a tanta tristeza. É, literalmente, rir para não chorar. O humor é uma válvula de escape”.

Edições Anteriores:  
 IN & OUT

 ;-) Saia com uma fenda média

:-( Saia com duas fendas grandes

ONE CARTOON


Os trabalhos dos mais criativos cartunistas selecionados na web.




 

Esta coluna é fechada de
segunda a sexta às 16:00

(exceto feriados)

 


 © Copyrights: É proibida a reprodução, total ou parcial, do texto e de todo o conteúdo sem autorização
 do titular desta coluna eletrônica. Entre em contato com o autor pelo email gibaum@gibaum.com.br

s